• Felipe Thomes Rodrigues

Você está lidando com um problema ou uma polaridade?



Quinze anos atrás, se você perguntasse a líderes de diversas organizações “crescimento ou eficiência?”, provavelmente ouviria a escolha pelo crescimento. Com isso, depois de um tempo, viria a consequência de ter focado só no crescimento: infraestrutura inchada, alguns custos altos, ineficiências. E assim a balança viraria para o outro lado: cortar e ser eficiente.


Já hoje, se você fizer a pergunta “eu deveria focar em crescimento ou eficiência?”, a resposta tem muito mais chance de ser “foque nos dois, e faça os dois muito bem”. Trata-se de uma polaridade e não somente um problema.


Um problema é algo que pode ser resolvido, que você tem a resposta certa, ou seja, possui uma solução. De outra forma, a polaridade é um dilema que vai continuar a existir, sem solução e com lados totalmente opostos. Usualmente, nós pensamos em termos do tipo: crescimento vs. consolidação, curto prazo vs. longo prazo, inovação vs. eficiência, centralização vs. descentralização, mudança vs. estabilidade.


Essas polaridades não são apenas estratégias de negócios. Elas também aparecem em escolhas que envolvem liderança e cultura. O que é melhor? Ter controle ou empoderar os outros? Focar nas tarefas ou nas relações?


É possível ver que essas alternativas são totalmente opostas e geram conflitos. Mas na verdade, elas são complementares e interdependentes.


David Dinwoodie, do Center for Creative Leadership explica que uma polaridade é um par de opostos interdependentes. Se você focar ou escolher um dos lados e negligenciar o outro, em algum ponto você sofrerá as consequências negativas disso.


Para isso, é preciso entender que você não vai resolver uma polaridade ou fazer uma escolha e seguir em frente. Você gerencia essa polaridade, primeiramente, reconhecendo o que é, e, depois, aprendendo como se mover através dos altos e baixos de cada caso.


Vamos dar um exemplo mais simples. Ao respirar, não temos uma escolha entre inspirar e expirar o ar. Se você tentar escolher para somente inspirar, os impactos negativos vão aparecer rapidamente. E o contrário disso tem o mesmo resultado. Então precisamos literalmente inspirar e expirar os lados opostos das polaridades que aparecem para nós.


Esse “Pensamento de Polaridades” foi baseado na pesquisa de Barry Johnson e aqui vão algumas dicas de como identificar e trabalhar com essas polaridades:


#1 A próxima vez que estiver lutando com um desafio ou conflito, se pergunte: “Isso é um problema para resolver ou uma polaridade para lidar?”

Isso vai gerar um melhor entendimento do que consiste esse desafio ou conflito para poder achar novas abordagens e pensamentos.


#2 Identifique uma ou mais polaridades que está enfrentando hoje

Como você, sua organização, família, está lidando com isso? Onde você pode converter a escolha de um polo para a compreensão do todo?

Com isso, peça por ideias e respostas para como lidar melhor com a existência desses opostos.


#3 Faça um mapa de polaridades para melhorar a sua visualização de quando está escolhendo mais um lado do que o outro e quais as consequências imediatas disso.

Ele funciona da seguinte forma: com os dois opostos, você vai listar os benefícios de escolher somente aquela opção, e, de outro lado, colocar as consequências negativas da ausência daquele polo.


Para ficar ainda mais simples, separei a apresentação de Shoshana Boyd Gelfand no TEDxJerusalem. Ela explica exatamente esse conceito com muitos exemplos de como fazer o mapa de polaridades:

https://www.youtube.com/watch?v=Jqd4-eemoAw


Com essa compreensão potencializada pelas pessoas, os conflitos podem ser minimizados e o crescimento das organizações aumentado.

Grande abraço!

12 visualizações

© 2018 by Journey Team

  • Instagram ícone social
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now