• Mariana Carvalho

Exercendo a Liderança na Vida Pessoal



Comunicativo, inovador, persistente, conciliador, inspirador, atencioso e decidido. Líder. Quem não quer ser reconhecido como um bom gestor? Quem não quer impactar a vida de pessoas e tornar a comunicação no ambiente de trabalho mais eficiente e, ao mesmo tempo, entregar resultados positivos e crescentes à empresa? A grande maioria.


Mas de que adianta ser um bom líder com sua equipe se não há uma consonância com sua vida pessoal?


“Como assim? Liderança na minha vida pessoal? Quem precisa disso?” – você me pergunta.


“Pois todos deveríamos praticar, até mesmo aqueles que não desejam ser líderes de equipes no futuro” – eu te respondo.


Liderança Pessoal


Liderança pessoal nada mais é do que a liderança do Eu. É sua habilidade em liderar os aspectos da sua vida pessoal com a mesma consistência, responsabilidade e clareza que você lidera sua equipe.


É ter clareza de quem você é, para onde você quer ir e quais habilidades você tem e/ou precisa desenvolver.

Existem diversas definições de liderança pessoal, mas uma que eu gosto muito é a do Stephen Covey, autor do livro “7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, que diz que “liderança pessoal é o processo de manter sua visão e valores antes de você e alinhar sua vida a ser congruente com esses valores”.


Minha definição de liderança pessoal é ser capaz de enfrentar seus medos e inseguranças, moldar seu caráter e fazer seu discurso ter sentido em todas as esferas da sua vida. É liderar a você mesmo para então liderar o outro.

Ser, antes de tudo, honesto consigo mesmo. Reconhecer que você não é perfeito, que tem muitas qualidades e defeitos, mas que pode trabalhar constantemente para melhorá-los ou aprimorá-las. Ser líder na sua vida pessoal é ser persistente e resiliente.


Ser um líder pessoal é traçar uma direção e se mover nela com clareza e consistência. É tomar decisões e suas consequências para si. É ter responsabilidade sobre suas ações. É ser também muito carismático e gentil – não só com os outros, mas com você mesmo. Você pode não ter um time a ser liderado, mas você lidera suas relações interpessoais e a si mesmo.


“Mas liderar a mim mesmo é tão fácil! Quem disse que não sou carismático comigo mesmo? Eu me amo!” – você me diz.


“Você se ama, mas centenas de vezes você não é gentil com você mesmo, mesmo que inconscientemente.” – eu te respondo.


E aqui vai um exemplo bem simples disso. Há algumas semanas assisti a um TED do doutor e escritor Guy Winch, que fala sobre como nós nos preocupamos muito com a saúde do nosso físico, mas colocamos de lado a saúde da nossa mente. Vou deixar o vídeo aqui embaixo no onde ele conta essa pequena história de 1 minuto, sobre uma mulher que liga para sua amiga e recebe duras críticas sobre quem ela é. A história começa aos 11m14s:





Percebe? Muitas vezes, somos nós mesmos quem nos boicotamos e boicotamos nossos sonhos. Deixamos de ser congruentes e persistentes em nossos próprios objetivos. Achamos que não somos merecedores e, assim, deixamos de praticar a liderança pessoal.


É exatamente por isso que a liderança na vida pessoal se faz tão necessária.


Tenha encontros semanais ou quinzenais consigo mesmo. Tire 30/60 minutos para revisar sua semana e seus objetivos. Tenha seu momento de feedback. Analise o que você realizou, o que poderia ter feito diferente e o que pode fazer no futuro para melhorar.

Seja com você o líder que você é ou deseja ser com sua equipe: apoie, ache os erros, conserte-os, melhore-os, se motive, elogie-se.


Afinal, se não for VOCÊ o responsável pelo seu sucesso, quem mais será? É você, na sua jornada pessoal para ser um líder, capaz de liderar e também formar novos líderes no futuro. Seja esse exemplo.


Como o seu Eu gostaria de ser liderado? Como a sua carreira gostaria de ser liderada? Deixe nos comentários. A troca é sempre muito bem-vinda.


Até a próxima!

0 visualização

© 2018 by Journey Team

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now