• Diogo Seixas

Discipline-se ou Desaponte-se

Por que é tão difícil mudar?


Nós temos uma dificuldade gigantesca de mudar nossos comportamentos. Vivemos reclamando sobre tudo e todos, mas na hora de enfrentar a tal mudança, acabamos optando por permanecer no mesmo lugar. Mudar é difícil mesmo, requer um esforço mental gigantesco para quebrar e mudar os nossos hábitos.


Mudar também é difícil porque envolve nossos valores. Acreditamos e vivemos através de crenças que muitas vezes são baseadas em justificativas para nosso comportamento, e não razões para que nos comportamos de maneiras diferentes.


Uma justificativa seria algo do tipo:.


“Eu nunca poderei falar em público porque sou tímido.”

“Minha autoestima é muito baixa, nunca poderei ser tão confiante.”

Uma razão seria:

“Sou tímido, preciso melhorar minha habilidade de falar em público.”

“Para melhorar minha autoconfiança preciso me jogar em mais experiências e aprender mais com elas”


Nesses anos de treinamentos, descobri que as pessoas têm realmente uma dificuldade muita grande de mudar, mas também descobri que elas sabem o que as incomodam e também o que fazer para mudar.


A pessoa que você quer ser, é a pessoa que você é.

Pela minha experiência, tenho a teoria de que a mudança ocorre por conta de um desses dois motivos:

  1. Você enfrenta uma dor muito forte, que te força a mudar.

  2. Você decide mudar

No primeiro caso, me refiro a dor como alguma experiência dolorosa em termos mentais ou até físicos. Por exemplo, um acidente de carro pode fazer com que você passe a dirigir com mais segurança. Um relacionamento ruim pode fazer com que você passe a ser menos ciumento e mais companheiro. Uma entrevista de emprego mal sucedida pode te fazer trabalhar mais em como você se apresenta e se conecta com as pessoas.


Todos nós já tivemos experiências ruins que nos fizeram mudar. Nossos piores momentos são também momentos de grande aprendizado.


Mas a mudança também está relacionada com a decisão de mudar. Parece simples. E é. Mas não é fácil. Se eu pudesse dividir em alguns passos, esses seriam:


  1. A aceitação de quem você é;

  2. A decisão de querer mudar ou não;

  3. O plano de ação - o que você vai fazer para implementar a mudança?;

  4. Disciplina e prática;

  5. E for fim, o tempo.


Meu papel acaba aqui.

Nem eu nem mais ninguém no mundo pode te convencer a mudar. Eu posso ficar horas falando sobre os benefícios, e você pode passar horas reclamando sobre o quão difícil isso vai ser. No fim, a decisão de viver com o que te incomoda ou de mudar é toda e exclusivamente sua.


Discipline-se ou desaponte-se.


Uma sábia banda já dizia:

Não acomodar com o que incomoda - O Teatro Mágico.

101 visualizações

© 2018 by Journey Team

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now